quarta-feira, 3 de junho de 2015

Vocês sobreviverão!

O barulho realmente foi tamanho que me vi de volta ao blog... Primeiro foi a novela Babilônia, agora a propaganda do Boticário. Isso só esse ano, claro. E também tem a votação no site do governo sobre o modelo de família (corre lá e vota NÃO, óbvio).

Pois bem, quando eu vejo gente dizendo que é contra união homoafetiva eu realmente não entendo. Pra mim, soa como querer proibir o uso de cinta liga no sexo do casalzinho hétero! É querer proibir o cara de ter tara por pé. É ser contra a moça gostar de peito cabeludo. Sabe?

E pra mim não tem nem essa de respeitar!!!!! Isso simplesmente não me diz respeito! Eu não tenho NADA com isso. Aliás, poupem-me dos detalhes sórdidos da vida sexual de vocês sempre que possível hahaha. E é assim que devemos encarar os gostos alheios: não temos nada com isso. Desde que isso não cause mal à alguém, é óbvio!

"Mas isso vai contra as leis de Deus!". Aham, o divórcio também. Acontece que, ao contrário da Bíblia, o mundo evolui e as leis acompanham! Então, por mais que a Bíblia condene, é necessário fazer algo em prol da sociedade EVOLUÍDA (novamente, ao contrário da Bíblia). E, ainda que a Bíblia fosse a verdade absoluta, eu te pergunto: sua vida, a SUA VIDA, muda em quê se o fulano se casar com o cicrano? Pensem que será como o divórcio! Se você segue as leis de Deus, você não se divorciará! Pronto. Deixa o amiguinho ser feliz divorciado! Você não tem nada com isso e isso não te causa problemas!

Aliás, milhares de casamentos de outras religiões são consagrados mundo afora e você não está dando piti, né? Tem váááários casamentos não feitos nas leis de Deus. Pois é. Seria querer proibir o casamento na igreja católica (para os evangélicos) ou querer proibir o casamento no tempo evangélico (para os católicos) - afinal, vocês não reconhecem outra união que não seja aquela celebrada pelas leis do SEU Deus. Tem graça?

Mas vocês que são contra, fiquem tranquilos. Um dia, os pais brancos tiveram que explicar aos seus filhos como é que um negro podia entrar no mesmo ônibus que eles, assim, do dia pra noite! Ohhhh! E hoje está tudo bem! Então pode ser que você não saiba muito bem explicar ao seu filho o que é o amor quando ele vir dois homens ou duas mulheres se beijando ou demonstrando carinho em público, mas tudo bem. 

A gente não nasce sabendo de tudo, não é mesmo? Vocês irão sobreviver ao amor.


PS: e não me venham falar em procriação! Somos 7 BILHÕES. Muito ajuda o planeta quem não tem filhos! Não estamos em extinção!


quarta-feira, 30 de julho de 2014

Tempos antigos

Vivo vendo por aí que bom mesmo eram os anos 80. Que brincar na rua era mais divertido que ter um iPad. Andar de carrinho de rolimã era muito mais legal que Candy Crush. Trocar papel de carta (óinn) era muito melhor que vídeo-game. Será que isso é verdade?

Pois é, a resposta é: DEPENDE. Pra mim, que estou nos 30, ou seja, nascida nos anos 80, COM CERTEZA a resposta é sim! Aquela época a gente fazia coisa muito mais legal do que hoje. Pra uma criança que está agora vivendo sua infância, a resposta é NÃO. E, na boa? Aceitem que dói menos.

É que o mundo, vejam vocês, gira! Ele muda, transforma, evolui. Queira você, goste você, ou não. Eu dou graças aos céus que minha infância foi do jeito que foi, mas não desmereço as coisas de hoje. Sabe como soa pra mim? Parece que estão insatisfeitos com o dia de hoje e vivem relembrando um passado bom.



Ou também pode ser preguiça, né? Estar atualizado dá trabalho!

Ignorar as coisas novas é como viver numa bolha de cacarecos. Com fotos em preto-e-branco e disco de vinil. Que são ótimos, mas né, agora tenho iPod. E o problema não é gostar ou colecionar essas coisas do passado, mas diminuir quem não as conhece ou não as aprecia. Aquele que não evoluiu junto a seu tempo é que está obsoleto, não o contrário!

Vejam: eu mesma curto uma série de coisas da minha infância. Jogo master até hoje! No tabuleiro!! Mas eu acompanhei o ritmo da tecnologia. Tenho tudo que o dinheiro me permitiu comprar de coisas tecnológicas. E gostaria que meus filhos tivessem também (mas não os tenho - os filhos). Tenho pavor de estar "out" hahaha.

Tampouco quero dizer que quem não sabe de TUDO é um ignorante. Não! Nem tanto ao céu, nem tanto ao mar. De qualquer forma, acho prudente andar conforme a maré nesse quesito. Mas tranquilamente. Antes de bravejar: ahhh, no meu tempo é que era bom. Veja se você já não se tornou um cacareco.

A saudade do tempo antigo não é ruim. Mas, caros, só permanece jovem quem sempre está em movimento!

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Puta que pariu! Pisa no freio, Zé!

Engraçado... fazer 30 dá diferença mesmo! Voltei pra escrever e qual a minha surpresa que meu último texto foi sobre maturidade! Então vou apenas continuar. Esse título define bem o que pensam sobre mim: a pessoa que atropela quem estiver na frente. Passa por cima sem dó. Fala aquilo que quer, sem pensar. Dizem que existem formas e formas de falar e eu sempre escolho a errada... Impressionante!

Acho que já falei, mas repito: as pessoas brandam por sinceridade até conhecerem alguém que a pratica. Não sejam tolos! Ninguém curte a verdade nua e crua. Só na teoria, nos posts do facebook. E não me venham com esse papo de "ah, mas é o jeito que se fala". Tá, tá bom! Mas tem coisa que só tem um jeito de falar, oras! Como que você fala pro seu amigo que ele errou feio? Como você fala que ele tem bafo? Tem coisa que não tem como não magoar... Anyway, ninguém quer ouvir. E, consequência, quase ninguém fala também. E normalmente você fica sabendo de uma coisa sua que incomoda o fulano através do ciclano, é ou não é?! Então...

As pessoas querem sorrisos, festas, abraços. Os mais chegados não se importam de sofrer com você, te apoiam nos piores momentos e tudo o mais. Mas cuidado! Pouquíssissississimas pessoas realmente querem a verdade; e entendam "verdade" como aquilo que EU penso. Ou o que VOCÊ pensa e quer dizer. Digo a verdade de cada um, pois ela não é absoluta, claro.

Enfim, sempre levei a vida com o foda-se no mode ON. Sempre falei aquilo que eu achava que precisava dizer. E fazia as coisas sem me preocupar com o vão pensar. Mas com o tempo fui vendo isso tudo que falei... Que as pessoas não gostam de sinceridade. Que elas se incomodam. Que elas preferem a hipocrisia mesmo.  Não necessariamente a hipocrisia, mas o silêncio (olha eu já tentando falar de uma forma mais branda!). Pois é mais suave, doce, bonito.

Hoje eu ando com o foda-se desligado e tentando não magoar as pessoas. O problema é que isso praticamente me mata um pouquinho quase todos os dias. Mas a vida é uma selva e a gente tem que aprender a sobreviver, né?

Agora fica a minha pergunta: melhor morrer sozinho pelo que disse ou morrer pelo que deixou de dizer? Fico me perguntando o que me faz mais mal. Se é a solidão por ninguém aguentar o que eu digo ou se é estar rodeada de gente, mas me sufocando pelo que não digo.

A virtude está no meio, sem dúvida! E isso que é o mais difícil, podem ter certeza... Mas um dia chego lá! Ah, se chego!!!

O duro de se perceber é: quase ninguém gosta de mim como eu realmente sou. Todos preferiam que eu fosse um tiquinho diferente aqui ou acolá. Triste, né? É. Mas fazer o quê? Ora essa: pisa no freio, Ju!

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Maturidade

Durante a vida a gente leva umas rasteiras. Algumas delas, exceções, são "destino" ou acaso. A maioria, acredito eu, é fruto das nossas ações mesmo. Infelizmente, ou felizmente, tudo tem consequência.

Como filha de milico que nunca teve mais de 3 anos de residência fixa até entrar na faculdade, posso dizer que não sei muito bem o que é amizade de infância... Naquela época (ai, que velha) não tinha internet. As amizades se perdiam com a distância! Eu só fui começar a mantê-las na adolescência, quando trocávamos os endereços pra mandar cartinhas pelo correio (que amor!). Antes disso, tudo foi embora com a distância.

Justamente por isso, aprendi a dar muito valor nas amizades. Faço TUDO que estiver ao meu alcance pra agradar meus amigos. Mas tudo mesmo. Vou onde tiver que ir, ofereço minha casa, cozinho com as peculiaridades de cada um deles (sei quem gosta do quê e quem não gosta, quem não pode, etc).

Acontece que, muitas vezes, isso é interpretado de outras formas. Uma dela é o controle. Muita gente me vê como uma pessoa controladora. Outra forma comum é me taxar de mandona e até de arbitrária. Isso não me magoa não, sinceridade, desde que continuem me amando. Afinal, quem não tem defeitos, né?

Se eu fosse falar do meu pior defeito, eu diria que sou impulsiva demais. Falo sem pensar. Mas já tenho trabalhado bastante nisso. Não que tenha resolvido, mas tenho tentado!

Enfim, independentemente do que sou taxada, uma coisa eu posso afirmar com toda certeza: eu me doo por completo pros meus amigos. Eles podem fazer o que quiserem comigo. Idiota, eu? Talvez. Mas me sinto bem sendo assim.

E o que seria a ingratidão se devemos fazer o bem sem esperar nada em troca? Fica aí um paradoxo que eu não sei responder... Ultimamente tenho visto muita coisa que eu não enxergava antes. Isso é uma dura realidade que vem com a maturidade: aprender a ver melhor as pessoas como elas realmente são. E isso, às vezes, é MUITO decepcionante.

Perceber que, muitas vezes, somos escolhidos apenas por interesse, quando convém. Quando não convém, nem somos lembrados... Ou fazem questão, mesmo, de excluir. A questão é que nenhuma das alternativas seriam recíprocas da minha parte. Vejam bem, eu não estou falando de conhecidos. Estou falando daqueles que falam "eu te amo, minha amiga".

Mas toda ação tem uma reação, isso é inevitável. E eu que ainda não sei qual será a minha! Aguardemos! Repito: uma das coisas mais cruéis da maturidade é enxergar as pessoas como elas realmente são...

E de uma coisa eu tenho CERTEZA: quando eu magoo algum amigo, é tentando acertar. Sempre.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Sou um Animal (ir)Racional

Perdoem-me se, às vezes, minha emoção não me permite ser racional. É que, vejam vcs, eu sou um ser humano!

Além disso, sou da área da saúde, ou seja, conheço bastante a ciência. Sei como funcionam as coisas no meio científico. E não, não sou contra o uso de animais em testes laboratoriais. Sei EXATAMENTE pra quê e porque eles são imprescindíveis para a ciência.

Deu pra entender bem que eu sou A FAVOR dos testes em animais? Vcs não vão esquecer isso até o fim do texto? Então, blz! Qualquer coisa, volte aqui e lembre-se: sou a favor dos testes em animais (não custa repetir).

Dito isso, vamos ao caso Royal.

Muita gente que está postando sobre isso (contra os ativistas) só está a repetir o que eu disse aí em cima. Mas não se trata só disso! O que fez com que os manifestantes invadissem o local foi a denúncia de MAUS TRATOS, não a denúncia de usar animais em testes laboratoriais!!!!

Eu sei que muitos deles (senão todos) são contra o teste em animais, mas aí são outros 500. Isso não deslegitima o fato de que as imagens mostram cães amontoados, sem condições de higiene, alguns dopados e não isolados, etc.

E foi ISSO - MAUS TRATOS - que me fez estar do lado daquele povo que fez um ato ERRADO, mas que talvez tenha sido a única saída que eles viram depois de tudo que tentaram fazer. Sim, eles não chegaram lá naquele dia, invadiram e pronto! Não foi assim! Eles chegaram a marcar uma reunião na prefeitura, mas aí não apareceu ninguém do Instituto.

Ou seja, muita gente que está aí falando de ciência mal sabe o que de fato aconteceu entre ativistas e o instituto naquela semana... Nem sabe das denúncias!

É o sujo falando do mal lavado, sabe?

Os "cientistas" falando que os ativistas são burros pq não entendem a ciência. E os ativistas falando que os cientistas são pessoas sem alma.

Acontece que ambos estão a fazer o mesmo: julgar sem conhecer os fatos e os motivos.

Se mesmo sabendo como é necessário o uso de animais na ciência, vc ainda é contra, parabéns! Além de burro, vc é hipócrita. Pq duvido que nunca tomou uma novalgina na vida... ou que nunca mais vai tomar.

Se mesmo sabendo como foram as tentativas de contato dos ativistas com o Instituto Royal, das denúncias (e suas fontes) e das imagens, vc ainda é contra o que eles fizeram, parabéns! Vc tb é ou burro ou hipócrita! Sim, pq duvido que nunca fez um download de uma música aí "de grátis", Sr. Corretíssimo-que-não-age-no-calor-da-emoção.

E pra piorar, vem o melhor argumento de todos os tempos (só que não) que quem luta pelos animais não pode ser carnívoro! hahahahahahaha só rindo mesmo!!! Cadeia alimentar, sabe? Aquela que existe desde que o mundo é mundo? Então, vcs, CIENTISTAS, deveriam saber disso! E isso não tem nada a ver com o amor aos animais! Nada!

Por fim, desculpo-me, novamente, por muitas vezes não conseguir ser racional. Como nesse caso. Irracional por natureza!